Follow by Email

sábado, 9 de agosto de 2014

SEMENTES DE UMBIGOS, ENFIM, DÃO SEUS PRIMEIROS BROTOS FLORIDOS!

Ontem, na data de Vânia, 8/8, renasceram os três filhos de Maria Célia e Milton Passos. Saíram para respirar todos juntos qual trigêmios, frutos de um mesmo óvulo e espermatozóides que se encontraram por obra do divino há quase 56 anos se fez luz e verbo através deles. Por longo tempo, esses fetos nadaram nas mesmas águas amnióticas daquele enorme ventre que nos pariu de modo normal e com muita dor, até que Vânia nasceu com 5 quilos e foi a meninona sensação do Hospital Dom Pedro, em Feira de Santana. A vida dessas três crianças, dependentes emocionalmente e independentes profissionalmente, pode ter parecido um calvário, mas como todo calvário tem tido a sua redenção.

Considero ontem o marco desse longo caminho de cura, embora ele tenha sido um processo gestado continuamente nos nossos corações. A paz que ela não conseguiu colocar em sua vida, foi aprendida por nós desde os nossos primeiros esforços para engatinhar. Hoje andamos eretos e estamos começando outro percurso, o. de nos curvar de volta ao estado de crianças velhas e indefesas. Abandonadas à própria sorte, como são milhares dessas pretas e pobres crianças que nos abordam nos semáforos das ruas do Oiapoque ao Chui. Suas mães as espreitam e parecem usá-los por desamor, mas o fazem porque não veem outra saída para manterem um fio tênue de vida os ligando do céu azul a essa terra em que todo ouro dá e é vendido a preço de banana. 

O fato é que não nascemos só de uma mãe, tivemos um pai que era fisicamente 13(treze) anos mais velho do que ela e mentalmente 30 anos atrasado em termos de consciência do valor das artes, da cultura e da educação para a libertação dos seres. Não, não o julguem ignorante, seu grande conhecimento era de outra esfera, era o conhecimento de quem sai galopando para respira novos ares. O ar das terras que desbravou em Barreira, para onde viajavam juntos com correntes sobre as rodas de uma C10 e voltavam enlameados dos pés até a última ponta dos cabelos. Esse era o amor que souberam e puderam experimentar, porque foi o que receberam e não conseguiram transformar em algo ainda melhor. Embora entre em desespero muitas vezes, no fundo, eu creio na progressiva depuração da raça humana, apesar de todo o ambiente de caos que nos rodeia. As Ciências, ao mesmo tempo em que têm negado seus métodos limitados de investigação iluministas,  têm provado que há uma ordem de luz e mistério dentro desse caos total, tanto no nível micro das partículas como a nível macro, o cósmico. E como o que nos circunda é constituído da mesma matéria que nos forma, não poderíamos ser diferentes dele. Somos constituídos a Sua  imagem e semelhança com o propósito de expandirmos e voltarmos a Ele.


Portanto, Tinho, quero te dizer que enquanto os seus festejos do aniversário da nossa irmã do meio foram com Lívia, Micheli e tia Rita, tomando uma cervejinha na varanda da sua casinha, os meus foram ouvindo música na minha. A festa que fiz em amor a nós 3, começou na manhã, quando eu dancei sozinha no meu quarto, continou quando liguei para nossa mãe, lhe mostrando uma gravação em que a cantora de quem sou fã reverenciava aquela de quem ela sempre foi fã também: Angela RoRo e Angela Maria, respectivamente. Nesse diapasão, eu fui fluindo ao sabor e ritmo de diversas músicas, porque passei o dia todo no computador as ouvindo, enquanto escrevia mensagens, fazia revisões em redações e versões para o inglês a pedido de amigos. Começamos a noite ouvindo Rod Stewart com a música que pensamos dançar no nosso casamento, há 2 anos: 'They can't take that away from me" (no, no,they can't take that away from us), seguidas de "Tonight is the night" e finalizada por "I don´t wanna talk about it" em parceria com Amy, a outra, Amy Belle: I don't wanna talk about, how you broke my heart". It could be other song to all our family, to you mom: '... my love for you is inimaginable, my respect for you is imense ....you're in my heart, you're in my soul...you're a sinfony and a play....you would be my breath if I go home."
E dormi ouvindo um mix de Ro Ro (sou sua tiete de carteirinha desde quando lançou seus primeiros discos eu os tenho ainda em vinil). Esse mix que coloquei na vitrola do laptop, começava com ela e Moska cantando  juntos "Feliz da Vida". Contrariando o meu costume, deixei o computador ligado e caímos nos braços um do outro, digo, nos braços do Deus Morfeu. Ontem, na verdade, o girassol que plantamos com nossos 3 umbigos originais, o qual, aparentemente não havia vingado, deu seu primeiro broto no jardim em frente à minha casa.

Hoje, é outro dia, como sempre serão os amanhãs e eu acordei, há pouco, com uma  música a confirmar todos os Passos que demos ontem. Convido-os a ouvir Vander Lee cantando "PENSEI QUE FOSSE CÉU"e reiterando que  "FELICIDADE BATE À PORTA E AINDA RI DE MIM"! 
Ouçam-na conosco:  


Moral da Minha Históira no.xxx:  MEUS DIAS NUNCA MAIS SERÃO IGUAIS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?