Follow by Email

domingo, 9 de fevereiro de 2014

DESNUDANDO-ME PUBLICAMENTE OU BUSCANDO AS MINHAS IDENTIDADES




Qualquer pessoa que procurar o nome Vera Passos no google, encontrará inúmeras informações sobre uma bailarina famosa minha homônima. Na Bahia, tenho outra homônima que é poeta, muitos me confundem com ela eu espero conhecê-la nessa terça-feira. Assim, acabei de atualizar a resposta à pergunta do meu blog: QUEM SOU EU?

Antes de tudo, sou mulher, me considero um enigma e me identifico no poema  Esfinge escrita pela poeta  Myrian Fraga:


Revesti-me de mistério 
Por ser frágil,
Pois bem sei que decifrar-me 
É destruir-me.

No fundo, não me importa 
O enigma que proponho.

Por ser mulher e pássaro 
E leoa,
Tendo forjado em aço 
As minhas garras, 
É que se espantam 
E se apavoram.

Não me exalto.
Sei que virá o dia das respostas 
E profetizo-me clara e desarmada.

E por saber que a morte 
E a última chave,
Adivinho-me nas vítimas que estraçalho.

Como qualquer ser humano, tenho múltiplas máscaras, personas e imagens nos diferentes espelhos que passam os seus olhares por mim. Segue aquela que tenho no meu espelho pessoal:

COMO ME VEJO:
Sou, antes de tudo,  uma mulher que busca ver o mundo sobre um prisma verdadeiro e original. Professora aposentada de matemática e mãe de dois filhos, cuja tarefa considero a mais difícil da vida. Através de concursos, tive textos publicados em antologias de contos e crônicas. Produzo peças artesanais da marca UM A UM -  Costumização, escrevo no blog pessoal "Pegadas de tintas a desvendar meus passos"    ( http://verapassos.blogspot.com.br/ )  e me apresento falando poesias com o grupo DI VERSOS - Arte Poética Singular, cujo blog administro (http://diversosartepoeticasingular.blogspot.com.br/. 
Pós-graduada em Informática Educativa e Metodologia do Ensino Superior, fiz formação em Yoga na Educação. Atuei como voluntária da Creche Escola Tereza Cristina, trabalhando música, poesia e yoga, com crianças do Bairro da Paz. Atualmente sou Diretora Cultural do SINASEFE- BA. Convivo com um diagnóstico de transtorno bipolar que me torna excessivamente antagônica e sensível. Gostaria de aprender espanhol, uma terceira língua estrangeira, mas a minha grande frustração é não cantar bem. Quero melhorar a qualidade de minha expressão escrita, pois a considero um ato educativo e terapêutico. Aos 55 anos, ainda acho que há muitos talentos a serem descobertos em mim e em todas as outras pessoas. 

\COMO FUI VISTA POÉTICA E GENEROSAMENTE: 

FONTE E FORÇA
                   De Eurídice Macedo
                   Para Vera Passos

Às vezes sou uma mulher

totalmente sem medos e
me assusto com a voragem,
de uma coragem,
que me aparece assim de repente e
me diz: e aí mulher, vamos em frente?

E eu vou!


Arregaço as mangas ciganas,

arrebanho as saias baianas e sigo
essa entidade que se apossa de mim.
Livre, destemida, aguerrida,
não peço passagem.
Eu vou!
Sou fonte e força,
Feminina, eu mulher
Sou uma usina!

CONTINUANDO...
Repasso a pergunta para você que me conhece íntima e superficialmente: como você me vê? Quero ver-me através dos seus olhos... Deixe, não o seu comentário, mas o seu depoimento o mais claro e verdadeiro possível abaixo:  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?