Follow by Email

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

NÃO GOSTA DA SUA POESIA? MADAME A PSICOGRAFA EM 2 DIAS!






CASA DESARRUMADA
                                   DE: CARE DRUMMOND MANSUR DE ANDRADE
                                   PSICOGRAFADA POR: VERA LUCIA PASSOS COQUEIRO

Casa desarrumada é assim:
Um lugar organizado às pressas, meio limpo, com entrada livre pelos fundos e uma iluminação de dia nublado.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro de fofoca, um cenário Pigmaleão 70!
Tem gente que gasta muito tempo mandando correntes no zapzap, fofocando, pousando para fotos, ajustando as papadas...
Não, eu prefiro viver numa casa, onde eu bato o olho e percebo logo: aqui tem coroas cheias de vida!
Coroas cheias de vida, para mim, são aquelas que não leem livros de poesias, desarrumam cadeiras e prateleiras e ainda levam os tecidos e enfeites da dona da casa.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das visitas que não fizeram refeições fartas e se lambuzam na mesa da cozinha.
Bolo sem cobertura? Beiju sem manteiga, nem torrado? Banheiro sem papel higiênico? Tá na cara que a dona é relaxada! 
E se o café não está à mão, é porque as visitas não aprenderam a usar a cafeteira.
Casa com vida, para mim, tem banheiro com descarga funcionando só à base de balde (ou panela).
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda fita, sianinha, moldes, perto do sanitário, tudo junto. 
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente quase arrependida.
A que está sempre pronta para se entulhar de amigos, filhos, tios-netos, vizinhos...
E, nos quartos, se possível, a gente não sobe pra não ver os lençóis revirados por gente que não arruma a cama nenhuma hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar parecida com a cara das amigas da gente!

                                                               A MESA DA COZINHA
                                                         A AUTORA E A AMIGA QUE A PSICOGRAFA

CASA ARRUMADA

                                 DE: CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
                                 POR: VERA LUCIA PASSOS COQUEIRO

Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha? Tapete sem fio puxado? Mesa sem marca de copo? Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos, pros netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
A jornalista e fotógrafa mais querida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?