Follow by Email

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

EU MEREÇO, NÓS MERECEMOS ou (inútil, a gente semos inútil!


Nós, professores brasileiros merecemos festejar oS diaS deCOMO  hoje, apesar de todas as dores que implica ser professor nesse país, no qual a saúde será sempre melhorada, depois de recolhidas as CPMF e afins, onde a educação sempre será priorizada, depois de recolhidos os royalties do pré-sal, em tempos de graves denúncias na Petrobrás. E assim se vai perpetuando a ignorância - não a burrice (que fique bem claro) do povo do nosso país. Eles, NÓS, em cuja constituição lhe são atribuídos direitos negados secularmente e ainda não se cansam de ter a esperança em um Brasil melhor e vão elegendo políticos que lhes prometem o que pretendem, antecipada e deliberadamente lhes negar. Do mesmo modo como ignoram a capacidade, dos incansáveis trabalhadores brasileiros, dessa brava gente que resiste e ainda busca comida em lixeiras e carrega carroças como burros de carga pelas ruas das capitais e andam pendurados em ônibus lotados e sub-humanos depois do emprego e da mobilidade prometidos na copa. Enfim, que desperdiçam criatividade e talento nas filas dos bancos mais lucrativos do mundo e morre em corredores de hospitais, onde faltam médicos, equipamentos e esparadrapos.

Finalmente, gostaria de lembrar que a maioria de nós, dos professores de carteirinha e de verdade, dos formados para isso, é comprometida com o que faz. Ao contrário dos OUTROS PROFISSIONAIS - ESPECIALMENTE DAQUELES DE COLARINHOS BRANCOS - que ganham mais, sugando sempre maiores privilégios e ganhos financeiros extraídos dos nossos minguados salários. Que fique muito claro que não foram ser professores aqueles que eram incapazes de passar em outros vestibulares mais competitivos (eu abandonei um curso de Arquitetura para ensinar Matemática e depois ainda quis estudar Letras e fIz dois cursos de Pós-Graduação UFPE/CEFET/UNICAMP. Gostar de estudar, é condição sine qua non para exercer essa digna profissão, que está longe de ser uma espécie de sacerdócio OU MISSÃO, embora essa atividade tenha sido inaugurada em nossas terras por padres Jesuíta. Esses muitas vezes escolheram SEUS futuros por falta de escolha e não por vocação para a batina ou para o magistério, Vale reforçar também que conhecer o conteúdo de uma disciplina é condição necessária, mas jamais suficiente para ensiná-la. Quem nasceu ou decidiu escolher essa profissão, como bem disse,  professora doutora Norma Oliveira, é educador 24 horas por dia (ainda ontem, meu filho reclamava porque, eu me atrasei em uma loja dando conselhos à funcionária do caixa de que, teclasse 100 ou 1 vez no botão da máquina de cartões de créditos, a máquina funcionaria em igual tempo. A diferença é que ela, a funcionária, estaria provocando uma possível  LER nesse dedo que usava centenas de vezes em cada atividade da sua longa jornada de trabalho.)! Ouvimos já tantas vezes que, não salvaremos o mundo com educação, mas jamais o faremos sem ela. já dizia aquele que mais lutou por uma educação emancipadora, libertadora e amorosa. Escutamos a mensagem dele? Prestem atenção, professores, a educação é batata em se considerando os seus dividendos. QUEM PENSA QUE A EDUCAÇÃO É CARA, CALCULE OS CUSTOS DA FALTA DELA!  Não somos arrogantes como a maioria dos profissionais formados em outras profissões, mas aceitamos que nos digam que somos MENOS, de que merecemos condições e salários piores. Enfim, esquecemos, repetidas vezes, do valor DO GRANDE VALOR QUE TEMOS E DEVE SER LEMBRADOS EM TODOS OS DIAS DA SEMANA, DE SEGUNDA A DOMINGO. Do grande valor que temos, além de tudo, por formar todos os demais profissionais, competente, indiscriminada e continuamente!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?