Follow by Email

quinta-feira, 24 de junho de 2010

10 ANOS DO POUSO DA PALAVRA


Cumprindo promessa feita mais a mim do que ao poeta, enfrentamos a estrada em véspera de festejos de São João rumo a Cachoeira para o Aniversário de 10 anos do Pouso da Palavra. Engarrafamentos na estrada fizeram com que nosso percurso se alongasse por 2 horas. Depois de nos alojarmos na bela Pousada do Convento, uma construção do século XVII, contígua à uma igreja cujos quartos com largos corredores ficam voltados para um pátio quadrado com um amplo jardim. Faz lembrar o Retiro de São Francisco, em Brotas, que, infelizmente, tem passado por dificuldades de manutenção.

A Pousada do Convento fica localizada bem próximo do casarão que abriga o Pouso da Palavra. Em seu andar superior, há uma sala, uma cozinha, alguns quartos, um banheiro e uma varanda. A
partir da varanda, a escada posterior dá acesso ao jardim gramado do quintal, cujos muros estão cobertos de heras, onde ficam as várias mesas do café literário. além de um barco de madeira encalhado na terra. Uma pequena varanda liga esse jardim à parte interna da casa, onde estão localizados o bar, o atelier e a galera de arte na entrada da construção. Toda a decoração é feita com móveis e objetos antigos selecionados, sendo que alguns estão expostos para venda.

Fomos recepcionados por Graça. Os longos nove anos de afastamento não impediram que nos recebesse com imenso carinho e alegria. Depois de nos mostrar o casarão e contar um pouco da história de sua reforma, começaram a chegar os convidados para a festa. Uma banda de sopro tocou os parabéns, depois de um pequeno coquetel, quando foram servidos acarajés, amendoins cozidos, ponches e o bolo de aniversário. Emocionada, Gal contou que o último pedido de Damário foi para que não deixasse o Pouso morrer. Justificou que há quinze dias, vasculhando as anotações pessoais dele, encontrou o planejamento dos 10 anos do espaço, o que a motivou a preparar tudo para realizar o seu desejo. Alguns poetas e amigos deram depoimento e leram poesias. A pedido dela, falei "Todo Risco", "O Ofício da Paixão" e "Poupar Nunca Mais", declarando estar feliz por não ter poupado esforços de estar ali naquele momento.

Fui convidada a organizar, em Setembro, um grande recital de Poesias lá no Pouso. No final da noite, conclui ser necessário fazemos mais programas como esse: inusitados, extravagantes... e românticos.

4 comentários:

  1. Vera é com muita satisfação que eu venho te dar a boa nova!
    Você já é integrante efetiva da Máfia do Dendê, e já pode publicar quais e quantas poesias quiser!
    Demorei a responder o seu pedido, mas consegui sem menores ou maiores problemas!!
    Agora esperamos a sua contribuição com ansiedade,
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Inclusive o IFBA está precisando e muito de um grupo de poesia.

    Vera, achei sua cara este texto. Acesse:
    http://www.jornalfeirahoje.com.br/materia/19724/outra-forma-de-terrorismo-por-jose-carlos-garcia-fajardo

    ResponderExcluir
  3. Vc tem twitter?
    É um modo legal d divulgar seu blog.

    O meu é @valeriadiogenes

    ResponderExcluir
  4. Valéria que me perdoe, mas não vejo nesse texto relação com o texto do Jornal de Feira que ela postou aqui. Com o texto da copa sim, seria pertinente! Mas o que eu vejo também é que por mais que critiquemos aquilo que fazem, a grande maioria das pessoas acaba agindo da mesma forma, quando lá se encontram! Quem não gostaria de ganhar a Loteria premiada e assim se livrar dos pequenos compromisso financeiros que o nosso mínimo poder econômico pode manter? Mas ao termos o nosso 1º milhão, quem não arriscaria para vê-lo crescer? O que difere as pessoas é o senso de responsabilidade que alguns têm para com os outros, porque há quem fabrique armas para ficar rico e ache que não tem culpa nos assassinatos dos morros cariocas, mas há também quem fabrique energia nuclear sem ter a real intenção de se armar para uma guerra! Me desculpe mais uma vez, é apenas um ponto de vista! beijos
    PS: Esqueci de comentar que o redator deveria ter mais atenção e fazer a correção ortográfica, e não postar um texto com tantos erros de português, coisa que Vera faz com excelência!

    ResponderExcluir

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?