Follow by Email

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A CANTORA, AS CANÇÕES E SEUS AMORES.

     

      Nesse domingo, no nosso ensaio semanal, eu dei uma declaração bombástica: Olha, vocês aproveitem bem a minha presença, porque eu sinto lhes informar que a poesia é só um trampolim para eu virar cantora. Podem tirar a lasquinha de vocês, pois estou próxima a dar o salto!
       Foi uma euforia e gargalhada geral, logo superada por declarações semelhantes: uma ia ser comediante, tipo o Chico Anísio de saias, outra está se preparando para estrear como palhaça no circo do Capão e a terceira ainda em dúvida se seria uma diva, uma top model ou uma bailarina. Os homens do grupo só rindo e aplaudindo... 
      Há algum tempo tenho assumido o bordão da poesia ACEITAÇÃO de Cecília Meireles, na qual diz: NÃO TENHO INVEJA ÀS CIGARRAS, TAMBÉM VOU MORRER DE CANTAR! 
     Enquanto não coloco a minha cigarra interior para fora da forma mais exata, vou rememorando que, assim como as da maioria das pessoas, a minha história amorosa foi crivada de trilhas sonoras. Para cada novo amor, ao menos uma música a ele associada. Na incapacidade de enumerar todas elas, eu escolhi dez que são descritas e cujos links estão associados. Vejamos as top 10:

1. If de Bread: http://letras.mus.br/bread/5759/
Éramos várias colegas de escola e nos reuníamos para fazer versões das nossas músicas preferidas especialmente dedicadas aos amores do momento. O meu, devo dizer, que foi totalmente platônico,  já sobre os das outras meninas, nada posso afirmar...

2. Detalhes de Roberto Carlos: http://letras.mus.br/roberto-carlos/6971/
Mais uma música a embalar um amor platônico e à primeira vista, que começou em um veraneio na ilha de Itaparica e se manteve no plano das ideias por alguns anos;

3. I love to love com Tina Charles: http://www.youtube.com/watch?v=5e1Ti6-DKDk
  Essa marcou a noite em que aconteceu o meu primeiro beijo... era uma festa de 15 anos, eu carregava uma flor na mão e vestia lilás... impossível esquecer;

4.Neném do grupo Boca Livre:  http://letras.mus.br/boca-livre/83163/
A partir de um certo tempo, a exigência aumenta e o pretendente precisa ser o próprio músico. Nesse caso ele era um amigo de infância que tocava  piano ou violão;

5. Mel com Maria Bethânia: http://www.youtube.com/watch?v=rVXYME0GdDg
Nesse ponto da história, houve uma pausa para quem só admirava a música, mas não tinha talento musical. Significou um tropeço ou uma concessão?

6. Eu sei que vou te amar de Vinícius: http://letras.mus.br/vinicius-de-moraes/49269/#
Pôde ser alguém que tocava flauta e negava não só o próprio machismo como o de Vinícius de Moraes (este sim, o único machista que admirei, cujo centenário tem sido esquecido...);

7. O Amor Quando Acontece de João Bosco: http://letras.mus.br/joao-bosco/46532/   e
Desenho de Giz do mesmo álbum: http://letras.mus.br/joao-bosco/46514/
Aqui é quase um álbum inteiro e não apenas uma das músicas de João Bosco. Assim, eu acrescentei à lista duas que compõem o mesmo disco em vinil. Desenho de giz é a menos conhecida delas, embora o seu refrão tenha ficado mais forte na minha memória;

8. Amelinha: http://www.youtube.com/watch?v=7ALsajBUDBw
Nesse caso, só porque eu odiava a música, fui pirraçada não só ganhando o disco, como o apelido de Amelinha. Oh, raiva danada!

9. A penúltima música poderia ter sido de Francis Hime e Chico Buarque:
 http://www.youtube.com/watch?v=83mvyL2e6qw . No entanto, não houve um música especial, só uma noite de forró dançado meio fora do ritmo... Aliás, eu não devolvi o Neruda, porque não o temei, ele o deu pra mim.

10. Bossa do Bayard de Dulce Quental: http://letras.mus.br/dulce-quental/149122/
Essa eu passei a cantar para ele. Como Dulce Quental fez a música perfeita para descrevê-lo, eu jamais saberei explicar. É uma canção pouco conhecida, mas eu a tenho em vinil, em cd gravado do próprio bolachão e uns dois cds nos quais o disco délica foi relançado bem mais tarde. Por quê? Porque trata-se do definitivo amor... do que escolhi para ter ao meu lado, para gerar um casal de filhos, ver chegarem os cabelos brancos, segurar as barras dos momentos mais tristes e comemorar, com alegria renovada, cada uma das vezes em que eles vão embora!

ELE É CHEIO DE POESIA
CALÇAS SUJAS DE TINTA
PINTANDO FORA DA TELA
VIVENDO O PRÓPRIO POEMA

SEU SEXO É UM PINCEL
IMPRESSIONANDO MULHERES
COM TOQUES CLAROS E LEVES
COLORE LÁBIOS E PELES

NUMA GARRAFA DE WHISKY
IMAGINOU UM CAVALO
SOLTO, NO ESPAÇO
VEIO CAIR EM MEUS BRAÇOS

SEU ÚNICO E ÚLTIMO QUADRO
PINTOU COM A VIDA INTEIRA
LINHAS E TRILHAS VERMELHAS
ELE É O PRÓPRIO POEMA

ELE É O PRÓPRIO POEMA
ELE É O PRÓPRIO POEMA
ELE É O PRÓPRIO...

8 comentários:

  1. Veroca, que postagem deliciosa! Gostei muito. Só você pra fazer as Top 10 dos seus amores. Adoraria escutar a canção do seu amor definitivo, mas o vídeo não está disponível.

    Beijocas,
    Sarah

    ResponderExcluir
  2. Sarita,
    Não há vídeo com essa música... só com outras mais conhecidas do mesmo disco como Raça Humana. Eu só coloquei o link para as pessoas conhecerem mais Dulce Quental.

    ResponderExcluir
  3. Querida Vera, parabéns pelo excelente texto, como todos os outros que você posta...Amei que tenhas compartilhado conosco, as maravilhosas canções que marcaram os seus amores!!
    Você deveria escrever um livro contando as suas memórias, garanto que fará um grande sucesso, pois com a facilidade e competência em escrever, tens muito conteúdo já postado neste blog e com certeza tantos outros a acrescentar!
    Beijo grande,
    Eliza

    ResponderExcluir
  4. Só posso dizer que uma das suas músicas escolhidas foi marcante para mim também, embora não esteja "mais" na lista do meu TOP10! Embora o momento tenha sido oportuno, ela foi escolhida pelo que eu vivia naquele momento e que graças a ele tenho hoje um BE(E)M QUERER linda e maravilhosa!

    ResponderExcluir
  5. Nossa Verinha! Que massa....só mulheres assim, retadas, seguras e bem amadas, tem a ousadia kk de revelar "10" amores! kkkk vc me fez lembrar dois momentos bem diferentes e marcantes : a lista que fazíamos no caderno da escola...de namorados é claro!!!! e bem depois uma grande/louca paixão....que a trilha sonora foi "o amor quando acontece" e que eu enchia o saco do amigo que tocava violão....muito bom ler o que vc escreve...bjo

    ResponderExcluir
  6. Vera, gostei muito do seu blog, especialmente das suas postagens mais recentes. Não há mesmo uma espécie de memória afetiva que seja mais profunda do que a musical. Belíssima também é a poesia que contorna seus escritos. Parabéns! Agora sou seu seguidor e acompanharei a sua criação. Um grande abraço, foi muito bom encontrá-la.

    ResponderExcluir
  7. Ricardo, fico muito feliz com os seus comentários e com a possibilidade que tenho neles de constatar que de algum modo contribuí para a sua bela formação como homem e profissional. Sinto que uma das frustrações dos professores é a de não poderem acompanhar as trajetórias daqueles que, mesmo rebelde e indiferentemente, forjaram suas identidades nos tendo como modelos, ou não.

    ResponderExcluir
  8. Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?

    ResponderExcluir

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?