Follow by Email

sexta-feira, 19 de julho de 2013

DE FEIRANTE A BARRAQUEIRA, UMA VERA TRAJETÓRIA


Quando namorávamos, em uma feira na Baía de Camamu, lambuzada de jaca, eu lhe disse: acho que em outra encarnação eu fui feirante! Ele me olhou, sorriu e falou: eu não, eu fui faraó como todas as pessoas importantes da atualidade!
Mais tarde a vida me ensinou a ser uma BARRAQUEIRA
(porém, tenso ser uma barraqueira inteligente como a sempre presente, Mafalda): 




E LÁ VAI A VERA HISTÓRIA QUE NÃO É EM QUADRINHOS MAS TUDO CONFUSO E JUNTO COMO ESSE NOSSO MUNDO;

Os meus queridos amigos da poesia foram convidados por mim, nesse domingo, a ensaiar aqui na minha casa... tudo de última hora e eu não tinha nada a lhes servir. Eu, esquecida da minha origem de feirante, fui apressada para o SUPERMERCADO, porque faltavam menos de 2h para o meu pessoal chegar e eu ainda teria de almoçar!
No bom preço? de armação (de barraco?) eu entrei e a primeira coisa a colocar no carrinho foi um vaso de orquídeas amarelas, porque sou uma barraqueira e feirante chick. Depois vieram as frutas, os sucos, o refrigerante antártica diet, os frutos secos, o pãozinho, bolo de rolo etc (muita calma minha gente, porque a turma é exigente e meio naturalista e gulosos e eu tava com fome, na condição e horário pouco indicados para ir ao mercado, seja ele qual for).
Fiz uma avaliação do meu carrinho e das filas e fui para aquela dos caixas rápidos. Quando vi o povo já batendo em retirada para enfrentar os caixas de carrinhos cheios e filas longas, percebi que havia algo de errado! Foi aí que pedi passe livre ou abram alas entre todos os compradores para verificar quantos caixas nos estavam atendendo e descobri pasmada que era apenas 1(um). Naquele momento a histeria baixou ou o santo na pomba gira, não sei bem, e comecei a gritar:
CHAMA AGORA O GERENTE, GENTE!
E QUANTO TEMPO MAIS EU VOU FICAR GRITANDO AQUI?
A FILA JÁ DOBRAVA LÁ NOS SORVETES E TODOS PARADOS ESPERANDO ORDEIRA E PROGRESSIVAMENTE NELA, DIGO, NESSE BRASIL DE MEU DEUS!
Apareceu uma mocinha sem fardamento dizendo baixinho: não podemos fazer nada porque só tem essa moça no caixa.
Respondi: E ONDE ESTÃO OS DESEMPREGADOS DESSE PAÍS? E POR QUE AS PORTAS ESTÃO ABERTAS NESSE DOMINGO? DEVERIAM TER FECHADO TUDO PARA NÃO ENGANAR A FREGUESIA!
E OS CAIXAS QUE SENTEM SAUDADES DO ANTIGO SUPERMERCADO PAES MENDONÇA?
AGORA, COM A MULTINACIONAL, ELES DESCOBRIRAM QUE ERAM FELIZES E NÃO SABIAM...

Como eu baixei o santo, deveria estar preparada com a lavanda, porque apareceu um negão com uma folha de arruda sob a orelha esquerda gritando mais alto do que eu com sua voz de baixo:

ESSE É O MERCADO QUE VOCÊS MERECEM! PORQUE VOCÊS VOTARAM NO PT E DEVERIA VOLTAR NO TEMPO DO ACM...

Eu virava para os meus colegas de fila e dizia, gente olha em que buraco eu me meti, na sepultura, pois o cara está desenterrando ACM! E berrava: não queremos discutir política, essa política partidária... vamos discutir a fila do mercado!

Então, a-fi-nal o povo da fila começou a gritar  QUEREMOS CAIXAS, QUEREMOS CAIXAS, Sufocando os gritos do outro que dizia MINHA MULHER NÃO PRESTAVA E EU MANDEI ELA EMBORA! E VOCÊS?

Eu satirizava: se meu marido me visse aqui nesse barraco também me mandava embora de casa!
CONCLUSÃO, PODEMOS NÃO ESTAR MUDANDO O BRASIL, NEM A SAÚDE, NEM A EDUCAÇÃO, MAS PRECISAMOS MUDAR AS NOSSAS ATITUDES FRENTE AO MUNDO!
E COMO DIZ UMA POETA AMIGA MINHA

SAÍ DALI COM ORQUÍDEAS NO BRAÇO E COM A CARA E A ALMA LAVADAS!

2 comentários:

  1. Eurídice, a poeta á qual me refiro na conclusão do texto disse:Gostei muito do texto, principalmente do seu grito, quando a funcionária disse que só tinha uma caixa: "Onde estão os desempregados desse país?". É por aí amiga, precisamos gritar, reclamar, cobrar respeito e dignidade! Os empresários em sua maioria só querem lucrar, lucrar, o cliente pouco importa. Uma atitude burra e irracional, pois os clientes já estão recobrando a consciência e a coragem para lutar pelos seus direitos. Parabéns Vera,Veroca, Verão (com muito sol e luz). Bjs,

    Eurídice.

    ResponderExcluir
  2. Comigo ocorreu algo semelhante. So que no Bom (Mau) Preço do Canela. Ja tinha jurado que jamais iria numa loja da tal rede de supermercados. Mas como estava passando por lá e necessitava de varios generos, resolvi parar. E tudo começou com o primeiro carro, que no meio das compras, descobri quebrado. Troquei pra outro, depois de testar, e qdo ja cheio, de novo tava com uma roda quebrada. Fui pra fila que achei menor, e era a menor pq tratava-se de um caixa aprendiz. E la se foi tempo de fila. Qdo peguei o terceiro carro, depois de testato (vazio), pra colocar as comprar a serem levados pro carro, constatei que este sim, estava totalmente arreado em duas rodas. Chamei gerente que nao apareceu. Bradei! Exigi alguem, de preferencia que tivesse força pra carregar aquele trambolho pesado e que eu ainda tive que ajudar chegar até a garagem. Agora ficou a jura de que jamais pisarei no Bom (mau) preço. E vou cumprir. Pq tem coisas, que mesmo com muita briga, nao funcionam. A multinacional na terra do Tio Sam, faz direitinho. Aqui, esculhamba.

    ResponderExcluir

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?