Follow by Email

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Traduzindo as ondas em que naufrago.

Quer saber de mim? Veja-me:



Traduza-me:

Nada vos ofereço 
além das mortes
de que me alimento

Caminhos não há
Mas os pés na grama
os inventarão

Aqui se inicia
uma viagem clara
para a encantação

Fonte, flor em fogo,
que é que nos espera
por detrás da noite?

Nada vos sovino:
com a minha incerteza
vos ilumino
Surpreenda-se:


 Após esse mês, ainda há vida dentro de mim

Um comentário:

  1. Bem vinda ao Mundo minha MANA, que seus caminhos lhe levem sempre a grandes planos, mesmo que eles sejam interrempidos temporariamente por vales e obstáculos!! Bjs

    ResponderExcluir

Sem muitos gerúndios, longas esperas e musiquinhas, o seu comentário é, de fato, importante para nós! Fique calmo, pois não vamos desligar a nossa ligação virtual, ok?